O impacto da leitura na criatividade das crianças

Pai e filho sentados. O pai conta uma história de livro para o filho.

O impacto da leitura na criatividade das crianças

Desde sempre, os pais têm uma preocupação legítima: como preparar os filhos para esse novo mundo, ou seja, como escolher atividades que favoreçam o desenvolvimento infantil e a criatividade das crianças. Diante da necessidade de responder à essa questão, muitos familiares lotam a agenda dos filhos com milhares de atividades.

Entretanto, essa tende a ser a pior resposta para esse questionamento; ao contrário, a decisão mais acertada quando pensamos na criatividade das crianças, está em um hábito muito antigo: a contação de histórias. Sim, ler para uma criança – sobretudo na primeira infância – é uma poderosa forma de estimular o raciocínio e a imaginação.  

Recentemente, a ciência – que já estudava o impacto da leitura em família no desenvolvimento infantil e na criatividade das crianças – surpreendeu ao mostrar o quanto o cérebro da criança é acionado e estimulado quando ela ouve uma história. Ao monitorar, com aparelho de ressonância magnética, aquelas com idades entre 4 e 5 anos em três situações (áudio de uma história; áudio com imagens na tevê; e imagens sem movimento, simulando um livro), constatou-se que a simulação do livro foi o que mais exercitou a imaginação e a movimentação do cérebro. Inclusive, houve uma forte conexão entre os neurônios, formando uma rede. A tal da imagem parada criou, na verdade, uma revolução!

 

Criatividade das crianças e a leitura em família

 

Esse resultado indica que a leitura para crianças, sobretudo feita pelos pais, faz com que o cérebro realize sinapses importantíssimas. O motivo para isso é que nessa primeira infância, o cérebro é uma esponja que absorve todos os estímulos.

No estudo em questão, em crianças de dois anos, por exemplo, os cientistas observaram que existe um potencial de desenvolvimento duas vezes mais rápido do que as que não têm esse hábito. Ou seja, temos que pensar como sociedade, como disseminar essa ideia de contar histórias entre os pais, tanto aqueles que têm poder aquisitivo para comprar livros, quanto aqueles em situação de vulnerabilidade social e econômica. Em tempos tão obscuros, a leitura continua a ser um instrumento poderoso para a transformação da sociedade.

 

| Por Lu Magalhães, presidente da Primavera Editorial