fbpx

Suicídio no Japão: aumento nos casos de suicídio entre as mulheres

Suicídio no Japão: aumento nos casos de suicídio entre as mulheres

 

No tema de saúde mental, um dos principais desafios do Japão – país que valoriza o estoicismo –, é convencer as pessoas a falar sobre solidão, depressão, ansiedade e suicídio. E, ainda mais desafiador é falar sobre a importância em buscar ajuda especializada e qualificada.  

 

A pandemia da Covid-19 teve um impacto muito grande na saúde mental das pessoas, sobretudo das mulheres – no mundo todo. Em vários países, foram elas as que mais perderam empregos – o que causou uma pressão ainda maior no emocional feminino. Em Tóquio, a cada cinco mulheres, uma vive sozinha e a demanda por distanciamento ou isolamento social tem causado um alto custo psicológico a elas. A divisão desigual do trabalho doméstico, entre as japonesas que vivem com mais pessoas, tem sido outro fator desestabilizador, assim como o aumento da violência doméstica e abuso sexual. 

Esse cenário veio acompanhado pelo aumento nos casos de suicídios no Japão: em 2020, 6.976 mulheres tiraram as suas vidas; um aumento de aproximadamente 15% em relação ao ano anterior.

 

Suicídio no Japão: um dos maiores índices do mundo

Claro que os motivos são ocasionados por uma miríade de razões, mas a alta do índice entre as mulheres tem levado os especialistas da área da saúde a aventar algumas possibilidades mais ligadas à questão de gênero. As autoridades do país estão preocupadas e pensam em empreender ações para combater o avanço dos casos. Para se ter uma ideia, esses dados representam um dos maiores índices do mundo.

Um dos principais desafios do Japão, país que valoriza o estoicismo, é convencer as pessoas a falar sobre o tema e, mais ainda, a buscar ajuda. Há uma tendência – segundo a professora de Ciência Política Michiko Ueda, da Universidade de Waseda, em entrevista para o The New York Times –, de culpar as vítimas.

Há, ainda, inúmeros casos de suicídios de astros de filmes e de tevê japoneses, algo que pode influenciar, sobretudo os mais jovens. Um caso recente foi o suicídio da atriz Yuko Takeuchi; após a sua morte, o índice de mulheres que tiraram a própria vida subiu 90% em comparação com o mesmo mês, no ano anterior. 

 

Soluções para combater o alto índice de suicídio

Para combater o problema, o governo japonês criou o cargo de Ministro da Solidão – uma tentativa de desenvolver iniciativas para reduzir os efeitos do isolamento causado pela pandemia e lidar com as altas taxas de suicídio no país. A íntegra da matéria publicada pelo The New York Times pode ser acessada no link: https://www.nytimes.com/2021/02/22/world/asia/japan-women-suicide-coronavirus.html

Falar sobre o tema do suicídio é mais do que relevante, sobretudo porque mostra a mudança efetiva da sociedade e das preocupações do governo japonês.

O suicídio no Japão era o assunto de homens envergonhados, muitas vezes por não terem obtidos sucesso profissional para prover a família.

Agora, o aumento de suicídios de mulheres, principalmente causados por questões mentais, nos acende um alerta importante: temos que cuidar de todos e de todas, sem distinção de gênero.