Olhar para trás para olhar para frente: o que levar de 2020?

Olhar para trás para olhar para frente: o que levar de 2020?

A cada fim de ano a gente tem o hábito de encerrar ciclos, fazer um balanço do que passou para entender os próximos passos… É preciso olhar para trás e ver todo o caminho percorrido até aqui. E, principalmente neste ano difícil para todos, é importante fazer essa retrospectiva para analisar para onde estamos indo. Você já sabe o que levar de 2020? 

 

Aprendizados de um ano atípico

 

A gente teve que aprender a esperar. A ficar em casa. Usar máscaras. Aceitar que a vida tem seus jeitos de nos fazer parar um pouco. Em tempos onde nossa fé foi posta à prova, onde nossa empatia pelo outro foi colocada na berlinda, ficou evidente que a saúde vem em primeiro lugar. Da gente e dos outros.

Esse talvez tenha sido o maior teste de empatia da humanidade: ficar em casa. 

E, em tempos de aprender a ficar mais tempo sozinhos, os livros voltaram a ser bons amigos. Um dos lados bons dessa pandemia, foi que voltamos a ler mais. Não só isso. 

Aprendemos a usar a internet e a tecnologia para ficarmos próximos de quem a gente ama. Para trabalhar em casa, praticar uma atividade física, fazer reuniões sociais e até festas – tudo por vídeo. Aliás, aplicativos foram nossos melhores amigos nessa pandemia; principalmente aplicativos de pedir comida. 

Ficamos mais em casa, mas tivemos que aprender a nos reinventar. No trabalho, na rotina, nas relações. Em meio a tanto caos, enxergar o que levar de 2020 pode parecer um grande desafio para muitos. Mas, sou uma otimista de carteirinha.

Mulheres que leem: a nossa retrospectiva

 

Aqui na Primavera, a gente escolheu trabalhar mais. Online mesmo. Ressignificamos muita coisa. 

Criamos um clube de leitura e de experiências inédito, O Ramalhete de Leitura, que reuniu mulheres, experiências e propósitos em torno dos livros que a gente publicou. Esse projeto também nos aproximou de marcas e empresas, e isso foi muito valioso. Conectar mulheres por meio de livros, em meio à pandemia, foi uma das grandes vitórias do ano da Primavera. 

Disponibilizamos o download gratuito do Livro dos negros no inicio da pandemia; e depois, do livro Uma centena de flores. Lançamos uma coleção inteira digital da poetisa Florbela Espanca; disponibilizamos O pequeno Livro do Puerpério para download grátis para lançar o livro Natureza íntima, fendas de uma mulher, de Maria Barretto; e também começamos uma parceria com o Tocalivros, para disponibilizar audiobooks de alguns dos nossos livros já publicados. Saímos no Estadão PME e em outros sites e portais relevantes.

 

Negócios na pandemia: o que levar de 2020?

Realizamos, pela primeira vez, a Feira Virtual do Livro, em homenagem a Rita Lobato, primeira médica brasileira. Reunimos assuntos da saúde, fizemos lives no youtube e no instagram e juntamos editoras independentes para oferecer livros com desconto, escritos por mulheres, sobre a saúde da mulher. Também pela primeira vez, participamos da Feira do Livro da USP; um evento tradicional do mercado editorial. 

Lançamos livros, muitos livros. De ficção a autoconhecimento. Escritos por mulheres, com mulheres protagonistas — para todos os gostos. A cada história, um novo mundo para conhecer; e assuntos relevantes e importantes para a atualidade.

Estresse e da ansiedade nas garotas, mulheres solteiras e felizes, relações tóxicas e abusivas, de família, autoconhecimento e sagrado feminino; e encerramos o ano com um livro de tirar o fôlego com uma mulher preta como protagonista. 

Criei a Primavera Editorial com o firme propósito de incentivar as brasileiras e leitoras de Língua Portuguesa a consumirem textos de qualidade que, em quase 100% dos nossos lançamentos, foram produzidos por outras mulheres tão potentes quanto as nossas clientes. (…) Em 2020, um ano especialmente difícil para todos, continuamos com o objetivo de investir não somente em títulos muito relevantes e inovadores, mas apoiando a causa feminina com eventos e projetos disruptivos. A equipe da Primavera Editorial – que, aliás, é 90% composta por profissionais mulheres – acredita que a leitura favorece um ambiente para o conhecimento florescer, provoca reflexões e modifica a posição intelectual, profissional e social. Isso porque as mulheres que leem transformam informação qualificada em instrumento de empoderamento. Ler, para as mulheres, é um espaço de poder!” (Lu Magalhães)

É, 2020 foi uma viagem e tanto!

 

Tecnologia que aproxima pessoas: um olhar para o futuro

 

Nosso site foi repaginado e ainda disponibilizamos os kits do Ramalhete para que todas pudessem comprar, participando ou não do Clube do Livro. Também nos aproximamos mais, virtualmente, de mulheres que leem, de mulheres que escrevem, de mulheres que são incríveis e inspiradoras, com o nosso movimento #mulherprimavera no Instagram e no Facebook. Estamos também no Twitter e já olhando para o TikTok com outros olhares. 

Aliás, abordamos esse olhar para o futuro — e para as oportunidades de inovação — no artigo semanal da Lu Magalhães. Vale muito a pena ler e se inspirar:  https://primaveraeditorial.com/mulheres-que-leem-retrospectiva/.

Parece que tem muita coisa para levarmos na bagagem para o próximo ano. Desejamos que em 2021, a gente possa continuar cultivando um tempo para nós; para cuidar do que importa, de quem importa; e cuidar da nossa saúde em primeiro lugar.

E que os livros sempre sejam companhias para dias de tédio, dias de tristeza, dias de felicidade e dias de lazer.  Ler nos dá asas para florescer nossa melhor versão; para sermos protagonistas de nossas histórias.

Já fez a sua retrospectiva? O que você vai levar de 2020? 

Que a gente floresça a cada nova história; e se encontre em muitos livros por aí. Feliz 2021!

 

Equipe Primavera Editorial